30/09

Das cartas que eu nunca te escrevi – Blogagem coletiva ROTAROOTS

texto-jaqueline-lima

Algo que eu nunca tive coragem de falar? Coragem de escrever? Ah, são tantas coisas. Calei meu coração mais do que eu achava que conseguiria.

Ah, que se dane! Levar as coisas do jeito que você leva, ninguém merece! Ninguém merece fingir que as coisas não poderiam ter sido diferentes, porque sim, elas poderiam. Que se dane as pessoas, que se dane o tempo, que se dane o meu coração.

Eu cansei de lutar contra tudo, foquei no trabalho e em tudo o que não me lembrava você. Escondi suas cartas no fundo da gaveta e tranquei com chave pra não ter que olhar de novo aquele futuro que a gente planejou. Você foi a primeira pessoa no mundo que eu quis sonhar junto, aqueles sonhos bem doidos, bem difíceis de realizar. Porque pra mim era fácil de realizar com você. Você era tão compatível comigo que eu podia imaginar exatamente o que você estava pensando. Cara, você me fez uma outra pessoa, tão diferente e incrível ao mesmo tempo. Porque com você eu sabia que podia voar.

Olha só, eu já tô fazendo de novo…  Sentada na minha cama e imaginando o que é que você tá fazendo agora, será que você ainda faz as mesmas coisas de antes?

Ah, que se dane o telefone e as mensagens que não tive como enviar. Que se dane as lembranças e essa vontade aqui dentro. Eu preciso mesmo te esquecer. Preciso buscar uma outra música pra escutar, uma playlist novinha que não me lembre você. Preciso seguir em frente, assim como você fez. Eu preciso parar de buscar nas pessoas, você. Preciso mesmo. Preciso parar de andar na rua olhando para tudo quanto é lado, na esperança de te ver. Coisa de louco, não? Eu preciso…

Sabe, ainda dói. Mas dói um pouquinho só, lá no fundo.

Dói quando acordo no meio da noite lembrando do seu sorriso e pedindo para esquecer de uma vez por todas, TUDO. Dói lembrar do seu abraço e do jeito como você levava as coisas, simples assim. Dói te ver, dói. Mas, sabe, tô conseguindo parar de me importar com isso. Essa dor passa, bem devagarinho, é só não pensar tanto nela assim.

Você me rendeu muitos textos, muitas músicas e muitos pensamentos soltos. Mas agora, eu passo a vez. Juro que acabou pra mim.

Essa foi uma blogagem coletiva do grupo Rotaroots.

Jaqueline
Oi, eu sou a Jaqueline, mas pode me chamar de Jaque! Tenho 24 anos, sou formada em Administração de Empresas, apaixonada por livros e a louca da fotografia.Adoro dias frios, seriados (♥) e a combinação dos dois também. É aqui que compartilho meus sonhos, minhas alegrias e minhas incertezas. Esse é meu mundo na internet, espero que goste!
Tudo bem?
Como eu era antes de você chegar
Simplesmente acontece