• já se foram 7 meses de mudanças aqui dentro

  • Ninguém precisa completar você

  • Viajei para Buenos Aires e foi maravilhoso!

  • Bem vindo, Lucas!

  • Amor de tia

30/09

“preferia liso”

Quantas vezes escutei isso nos últimos anos. Quantas vezes me disseram o que era melhor para o meu cabelo, quantas vezes eu ignorei completamente. Quantas vezes eu alisei depois de escutar isso?

A transição capilar me ensinou tanto! Me ensinou a ser feliz mesmo quando meu cabelo parecia ter passado por um furacão. Porque ele teria passado pelo furacão cacheado e saído dele CACHEADO. Olha que coisa boa, não ter que me preocupar se vai chover ou se eu terei que entrar em uma piscina com algum desconhecido e mostrar que na verdade aquele cabelo que ele viu antes, não é nada do que ele verá depois do banho.

Decidi entrar na transição capilar depois que meu ex namorado falou que meu cabelo cacheado era bonito e que eu poderia pensar em usar mais ele assim. Foi a força que faltava pra mim. Foi aí que eu finalmente tomei coragem e decidi conhecer meu cabelo.

O que me deu força pra continuar durante todo esse tempo foi uma coisa muito importante: não me importar com o que ninguém falava pra mim. Podia tá o uó. Mas eu iria acabar essa transição e descobrir de fato o que meu cabelo era. E to assim até hoje.

Tô no final da transição e vou te dizer: Que orgulho! Meu cabelo ainda tem parte lisa, tem parte muito cacheada e tem umas partezinhas onduladas. É uma mistura. E eu aceito. Todos os dias.

Se no fim eu não gostar do resultado, vamos ver o que vai rolar. Só sei que além de gostar dele natural, ele ficou 1000 vezes mais saudável e parou de cair como antes. Sabe a sensação de “porque eu não fiz isso antes?”, tenho ela sempre.

Mas nem tudo são flores. Ia ser lindo se fosse, mas as coisas também saem de controle. As pessoas também conseguem ser malvadas ou até mesmo “ingênuas” demais em suas opiniões. Principalmente no começo da minha transição o que eu mais ouvia falar era o famoso “preferia liso”, ou até o “cê não arrumou o cabelo hoje não?”. Típico.

Era nessas horas que eu queria desaparecer ou só escovar tudo de novo e fingir que nada aconteceu. Que eu não mostrei esse cabelo para mais pessoas e que ninguém chegou a comentar nada disso comigo. Mas eu dei a minha volta por cima de todas as formas. Eu realmente dizia todos os dias que seria melhor no dia seguinte, que meu cabelo não ia ficar tão horripilante e que as pessoas não iriam mais falar. Mas continuou acontecendo, e acontecendo. Durante meses.

Eu resolvi tudo isso conversando. Conversando com cada uma dessas pessoas. Falando o que eu estava fazendo, o momento que eu estava passando e falando que eu contava com o apoio dela no intuito de entender o processo. E deu tudo certo.

Hoje eu me sinto tão bem! Com meu cabelo liso, definido, indefinido, cacheado, no coque pra disfarçar ou só solto fuá, que eu amo amo amo.

Esse processo me ajudou a me conhecer, a conhecer meus limites e a entender que a aparência até conta as vezes, mas só se a gente estiver feliz. 


Dica: Assistam, por favor “A felicidade por um fio” e entendam um pouco do que é o universo de muitas cacheadas/crespas e porque o padrão do mundo é completamente fora do que é nossa realidade.

Jaqueline
Oi, eu sou a Jaqueline, mas pode me chamar de Jaque! Tenho 24 anos, sou formada em Administração de Empresas, apaixonada por livros e a louca da fotografia.Adoro dias frios, seriados (♥) e a combinação dos dois também. É aqui que compartilho meus sonhos, minhas alegrias e minhas incertezas. Esse é meu mundo na internet, espero que goste!
Metas para realizar em 2017
Fechada
Meus looks por Ellen Maia

27/09

sobre os sonhos que querem sair do papel

Todos os dias me questiono se as coisas que acontecem na minha vida necessariamente são coisas que eu imaginei ou imagino pra mim. Se são coisas que sonhei. Venho me questionando isso desde que terminei meu último relacionamento e vim morar sozinha. É aquela coisa, a gente fica sozinho e acaba pensando muito na vida, no que fazemos, realizamos, porque é um momento onde a gente busca mais ainda a nossa felicidade sem dar essa responsabilidade para alguém.

Hoje tenho feito tudo pensando exclusivamente na minha felicidade. Tudo o que faço é para me fazer feliz ou fazer os outros felizes, e eu tenho me orgulhado todos os dias por isso.

Quando estava prestes a fazer 25 anos eu entrei em uma crise. Acho eu que entrei na famosa crise dos 25 mesmo. Eu chegava em casa e chorava. Chorava por ter medo de fazer o que eu queria fazer, chorava por não estar em um relacionamento, chorava por não estar em uma posição de carreira que eu gostaria no momento. E depois disso eu comia, comia muito. E sempre tinha espaço. Pra evitar que piorasse mais, eu dormia. Então 20h eu já estava capotada. Haviam dias que eu queria dormir, mas meu corpo não, então eu tomava remédios (isso não é aconselhável, não façam em casa) e ia pra cama pra não saber de nada do que estava acontecendo no mundo.

Conversei nessa época com grandes amigos que tiveram papéis importantíssimos na minha decisão de sempre sempre buscar fazer o meu melhor em tudo e só me importar inicialmente se aquilo que eu estava fazendo fazia bem a mim ou não.

Eu achava que tinha medo. Que tinha medo de viver. Eu achava que a minha vida estava péssima e me culpava por ela estar assim. Descobri que não. Descobri que eu me escondia por trás disso, eu dizia que tinha medo de fazer, pavor de tentar. Mas eu sempre fazia e tentava sem nem ao menos perceber que sim. Eu dizia que tinha medo, mas eu moro sozinha. Me banco. Eu dizia que não era boa no que fazia, mas sou espelho de muito gente que convive comigo. E eu só me diminuía.

Depois desse período ruim que foi passando com o decorrer dos dias, eu fui voltando a minha rotina e tentando a cada dia me desafiar a voltar com as minhas metas do início do ano, a voltar com as minhas descobertas e a me amar acima de tudo, novamente. Foi por isso que escrevi esse texto aqui, e também foi isso que me deu vontade de postar mais aqui no blog.

Hoje, sentada aqui na minha cadeira percebo o quanto eu sou corajosa e o quanto é bom dividir os aborrecimentos e as tristezas com quem te quer bem, nem tudo tem que ser levado nas costas por mim. Nem tudo tem que ser sentido somente por mim. Mesmo que eu seja suficiente pra mim, existem pessoas que me querem bem e que estão dispostas a me darem um ombro ou somente ouvidos. Essas pessoas, eu amo.

Agora eu entro num momento da minha vida que eu quero tirar meus sonhos do papel.

Vamos nessa comigo?

 

Jaqueline
Oi, eu sou a Jaqueline, mas pode me chamar de Jaque! Tenho 24 anos, sou formada em Administração de Empresas, apaixonada por livros e a louca da fotografia.Adoro dias frios, seriados (♥) e a combinação dos dois também. É aqui que compartilho meus sonhos, minhas alegrias e minhas incertezas. Esse é meu mundo na internet, espero que goste!
3 coisas que eu aprendi experimentando
2 anos de blog!
Fechada

10/09

já se foram 7 meses de mudanças aqui dentro

Dia 2 completei 7 meses morando sozinha. A casa ainda não está exatamente como eu gostaria que estivesse, mas quem já teve a experiência, sabe que montar uma casa do zero não é fácil e que é preciso muito investimento pra montar e decorar o nosso cantinho sozinhos.

Estou em fase final de decoração do apê. Agora faltam menos de 30% das coisas aqui. Mas precisei parar um pouco para juntar uma grana e terminar tudo. Móveis e eletrodomésticos são caros e não dá pra viver sem eles, então precisei investir nisso nos primeiros meses aqui. Hoje eu já estou em fase de decoração. As coisas vão surgindo no instagram, no facebook, pulando na minha frente, mas nesse momento preciso resistir e esperar pelo momento certo. Crescer e amadurecer também é isso. Abrir mão de coisas porque no próximo mês haverão vários outros boletos pra pagar.

Continuando o post que comecei a mostrar o apartamento, fotografei um pouco de como tá ficando as coisas por aqui e como estou decorando hoje. Tá tudo tão a minha cara que eu nem sei. <3

Essa cômoda fica no meu closet/escritório. Ela é da Mobly e é a coisa mais linda dessa vida.

Esse é o espaço que eu tenho pra escrever, desenhar e criar. Quis muito que meu escritório ficasse no outro quarto que eu não durmo pra separar o trabalho e minha vida off.

Essa é a visão do closet/escritório. Eu amo tanto esse quarto, e olha que nem terminei ainda com ele. <3

Esse é meu quarto onde durmo. Ele quase não aparece nas minhas redes sociais porque ainda não fiz nada nele. Mas em breve teremos coisas novas por lá 🙂

Cantinho fofo onde coloquei esse quadro da minha viagem à Argentina. Eu adoro ver e lembrar dessa experiência.

Esse cantinho é onde passo a grande maioria do meu tempo. O sofá geralmente está aberto e tem um tapete ali, mas tava fazendo faxina nesse momento e esses detalhes ficaram faltando.

Meu hack está supeeeeeeer bagunçado e cheio de livros que não vão ficar aí. Preciso ainda comprar uma estante para eles e essa plantinha precisa urgentemente ser pendurada na parede, mas preciso da ajuda de um senhor chamado meu pai que não vem aqui fazer esse serviço nuncaaaaaaaaa :z

Essa é minha penteadeira que fica no meu quarto 🙂 Não a uso muito, mas ela é fotogênica e fofa. Ah, ela e a cadeira também são da Mobly.

Detalhes da decoração da penteadeira

Detalhes da decoração da escrivaninha

Detalhes da decoração da cômoda

É isso pessoal, espero que tenham curtido. Jájá volto com mais ♥

Jaqueline
Oi, eu sou a Jaqueline, mas pode me chamar de Jaque! Tenho 24 anos, sou formada em Administração de Empresas, apaixonada por livros e a louca da fotografia.Adoro dias frios, seriados (♥) e a combinação dos dois também. É aqui que compartilho meus sonhos, minhas alegrias e minhas incertezas. Esse é meu mundo na internet, espero que goste!
1 mês em 1 post – Março
Look da Jaque: Me amo assim!
O que de melhor aconteceu em 2014?

09/09

Carta para mim mesma nos dias tristes

Jaque, você é capaz. Para de duvidar de você, para de se diminuir. Se você está onde está hoje é por puro merecimento. Saiba que você é uma mulher forte, incrível e que tem tudo a seu favor para fazer dar certo. Continue se amando, o amor próprio trilhou caminhos inimagináveis para você, não esqueça disso.

Não se importe com a opinião de ninguém, apenas de quem realmente ama você e quer ver você bem. Tudo o que você tem hoje é resultado do seu trabalho e do seu esforço, então não se preocupe com quem não fez parte de nada disso.

Se ame. Reconheça as suas conquistas diariamente e saiba que você já fez muito. Você fez muita coisa na vida e tem tudo pra continuar fazendo. Não se esqueça: Você não tem medo. Você só precisa dar um passo, e tudo vai acontecendo.

Jaqueline
Oi, eu sou a Jaqueline, mas pode me chamar de Jaque! Tenho 24 anos, sou formada em Administração de Empresas, apaixonada por livros e a louca da fotografia.Adoro dias frios, seriados (♥) e a combinação dos dois também. É aqui que compartilho meus sonhos, minhas alegrias e minhas incertezas. Esse é meu mundo na internet, espero que goste!
Um breve balanço #3
Metas de 2017 | Consegui realizar?
O que de melhor aconteceu em 2014?

Página 1 de 104
12345... 104››